Fiorella, você está aí?

As crenças limitantes de quem tenta engravidar e porque é tão importante persistir com confiança. De xenofobia a transtorno alimentar, Carolina Farani nos conta sobre seus desafios e dores da vida e como sua trajetória refletiu no seu sonho de ser mãe. Pernambucana de nascença, a escritora se mudou para Santos, sua cidade do coração, quando ainda tinha doze anos. No litoral paulista, a autora pôde viver seus piores e melhores momentos. Formada em Comunicação Social (Publicidade, Propaganda e Marketing), a publicitária confidencia aos leitores sobre a xenofobia vivida no período escolar e o transtorno alimentar acarretado pelo preconceito. Tudo isso é exposto em seu primeiro livro “Fiorella, você está aí?” para que os leitores entendam a trajetória da autora e como tudo influenciou em sua luta para conseguir ser mãe. Desde a adolescência, Carolina precisou aprender sobre esperança, fé, confiança e força de vontade para superar seus desafios, por isso, as páginas do livro estão recheadas com muitas histórias sobre perseverança e determinação. “Realmente a esperança é uma luz que alimentamos dentro do nosso ser. Só enxergamos luz no fundo do poço quando nos permitimos ter forças para prosseguir. Precisamos despertá-la.” (pág. 200) Após operar o útero por um tumor benigno, perder dois filhos por abortos retidos e realizar uma fertilização sem sucesso, a escritora engravida de Fiorella, o seu girassol. “Sempre gostei do girassol, as cores dele são vibrantes e remetem muita alegria, por isso escolhi ele para te representar.” (pág. 09) Carol presenteia seus leitores com trechos de seus diários e relatos sobre algumas de suas grandes aventuras como protagonista desse grande filme chamado “A vida”. O livro é dedicado a todas as mulheres tentantes, para que saibam que não estão sozinhas, mas qualquer um que sentir vontade de se presentear co

Autor Fiorella, você está aí?:Carolina Farani